Tolentino Mendonça revela o que lhe segredou o Papa Francisco na hora da consagração como Cardeal

Partilhar nas redes sociais
  • 5
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares

José Tolentino Mendonça, o 6.º Cardeal português e um dos três elegíveis como Santo Padre na sucessão ao Papa Francisco, não só revelou ao jornalistas o que lhe segredou ao ouvido o Papa Francisco, como confessa que "a vida de um Cardeal é pesada" como a de um operário ou refugiado

José Tolentino Mendonça, 53 anos, o arquivista e bibliotecário português que se tornou o confidente do Papa Francisco, foi eleito Cardeal num Consistório no Vaticano, em Roma, e depois de ter sido eleito o 6.º Cardeal português no activo (e um dos três que pela idade podem ser eleitos Papa) desabafou que “a vida de um Cardeal é pesada”, tanto “como a vida de um operário, de um desempregado ou de um refugiado".

Natural de Machico, na Madeira, o novo Cardeal entrou no seminário aos 11 anos, doutorou-se em Teologia Bíblica e foi vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa. José Tolentino Mendonça é um nome destacado na poesia portuguesa contemporânea, tendo já recebido vários prémios nacionais e internacionais.

“A vida vai-nos dando, pela mão de Deus, os caminhos, mais do que pesos, porque a vida de um Cardeal é pesada, mas a vida de um pai de família também é, a vida de um operário, a vida de um desempregado, a vida de um homem sobre a terra, a vida de um refugiado, a vida de alguém que constrói a sociedade”, confessou aos jornalistas o Cardeal madeirense.

Tolentino Mendonça, de 53 anos, tornou-se no sexto Cardeal português deste século e o 46.º da história da Igreja Católica.

Questionado sobre se o facto de ser Cardeal pode condicionar a liberdade criativa, Tolentino Mendonça lembrou as palavras do líder da Igreja Católica durante a sacristia na Basílica de São Pedro, quando Francisco cumprimentou cada um dos novos 13 cardeais. Ao novo Cardeal, o Santo Padre disse, quando se abeirou do padre madeirense: “Eu disse-lhe, baixinho: ‘Santo Padre, o que é que me fez?’” - tendo o Papa respondido - “Olha, a ti eu digo aquilo que um poeta disse: ‘Tu és a poesia’”.

 

 

 


Partilhar nas redes sociais
  • 5
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares