Miguel Albuquerque ganha em todas as sondagens: Eurosondagem, Católica e Intercampus

Partilhar nas redes sociais
  • 310
  •  
  •  
  •  
    310
    Shares

Três sondagens encomendadas por órgãos de comunicação da região autónoma da Madeira dão a vitória ao PPD/PSD de Miguel Albuquerque. A "sondagem" final será dia 22 em todo o arquipélago. Antes disso, houve um órgão de comunicação social que foi repreendido pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), por ter discriminado o PPD/PSD e ter violado "o princípio do tratamento jornalístico igual".

Todas as três sondagens elaboradas para acompanhar o acto eleitoral na Região Autónoma da Madeira dão a vitória ao PPD/PSD liderado por Miguel Albuquerque. A sondagem encomendada pela RTP-Madeira à Universidade Católica Portuguesa, concluiu que os sociais-democratas vencerão com 38% dos votos e que deverão eleger entre 19 a 23 deputados no Parlamento Regional.

Segundo a pesquisa da Universidade Católica Portuguesa o Partido Socialista (PS) e o cabeça de lista Paulo Cafôfo deverão obter 29,9% das intenções de voto e eleger entre 14 e 18 deputados regionais. De acordo com o mesmo estudo o CDS-PP liderado por Rui Barreto conquistará 5% dos votos e colocará entre 2 a 3 deputados na câmara madeirense.

Além destas três forças partidárias, o Bloco de Esquerda (BE) deverá obter 5% dos votos e eleger 2 a 3 deputados, o partido Juntos Pelo Povo (JPP) obterá 4% das intenções de votos e também deverá colocar 2 a 3 deputados no hemiciclo autonómico do arquipélago da Madeira.

A sondagem pedida pelo Jornal da Madeira à Intercampus concluiu que o PPD/PSD deverá ter 39% dos votos no acto eleitorial regional do próximo domingo, dia 22, e colocar na câmara regional 21 deputados e que o PS deverá ficar a uma distância de menos quase 6% com 33,1% e eleger 17 representantes.

No estudo da Intercampus, o CDS-PP aparece com um dos seus melhores resultados: 9,3% e a eleição garantida de 5 deputados regionais. Na lista dos partidos elegíveis para ter assento no Parlamento Regional aparecem a CDU com 3,9% e dois eleitos, o JPP com 3,4% e 1 deputado e o BE com 2,2% e também um eleito.

A sondagem que mais estreita a diferença entre as duas principais forças políticas na Madeira é aquela que o jornal Diário de Notícias da Madeira encomendou à empresa de estudos e sondagens Eurosondagem. Nela, o PPD/PSD deverá conquistar 36% dos votos nas eleições e eleger 19 deputados. O PS aparece com 33,6% das intenções de colocar uma cruz à boca das urnas, facto que lhe poderá fazer eleger 17 a 18 deputados.

O CDS-PP nesta sondagem deverá chegar os 8% e eleger 4 deputados, a CDU poderá chegar aos 4,5% e eleger 2 representantes no Parlamento, tal como o BE que todavia deverá conquistar 4% do eleitorado. No fim da tabela da Eurosondagem, com possibilidade de eleger um representante, está o JPP, com 2,5% de votos e 1 deputado eleito.

BRONCA NA COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES COM O ‘DIÁRIO DE NOTÍCIAS DA MADEIRA’

Duas queixas na Comissão Nacional de Eleições (CNE) terminaram com um puxão de orelhas aos responsáveis pelo Diário de Notícias da Madeira. Na reunião plenária do passado dia 17 de Setembro, a CNE analisou as queixas que “dois cidadãos remeteram à Comissão Nacional de Eleições contra o Diário de Notícias da Madeira, nas quais referem que o jornal lançou uma sondagem online com a pergunta ‘O que marcou negativamente o Governo liderado por Miguel Albuquerque?’”, alegando “’intuitos de campanha política de favorecimento’, uma vez as respostas contempladas não permitem uma escolha positiva, apresentando apenas opções de respostas relativas a aspetos negativos”, lê-se na deliberação a que o Insular de Notícias teve acesso em exclusivo.

No entender dos queixosos, “esta iniciativa do Diário de Notícias da Madeira não é isenta e a divulgação dos resultados induzirá os leitores em erro, em benefício de algumas candidaturas.”

Entretanto, o Diário de Notícias da Madeira foi notificado para se pronunciar sobre o teor das duas participações e apresentou resposta. Refere o director e restantes responsáveis pelo diário, que a tal sondagem online “refere que se trata de um inquérito online dirigido aos leitores da plataforma digital e que a iniciativa, numa primeira fase, contemplou a pergunta a que aludem as participações em causa, decorrendo agora um inquérito sobre ‘O que marca positivamente o Governo liderado por Miguel Albuquerque?’.”

Só que a Lei Eleitoral da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira “consagra o tratamento jornalístico não discriminatório às diversas candidaturas, nos termos da Lei” e “mantém-se vigente a obrigação de os órgãos de comunicação social assegurarem tratamento jornalístico não discriminatório, como expressão concreta do princípio mais geral da igualdade de tratamento de oportunidades das candidaturas”, lê-se.

Ilda Rodrigues, Coordenadora dos Serviços da CNE, determina que “o inquérito em causa, que ademais é promovido no período de campanha eleitoral, é suscetível de ser entendido como tratamento desigual das candidaturas, tanto mais que o presidente do Governo Regional, nele visado, se apresenta à eleição em curso.”

Avisa e deixa um puxão de orelhas ao Diário de Notícias da Madeira e a toda a comunicação social na região. “Nestes termos, recomenda-se o Diário de Notícias da Madeira que cumpra a obrigação que impende sobre os órgãos de comunicação social de assegurarem um tratamento jornalístico das candidaturas não discriminatório.”


Partilhar nas redes sociais
  • 310
  •  
  •  
  •  
    310
    Shares