Furacão Lorenzo. O que o Executivo açoriano vai fazer para acompanhar os efeitos da destruição?

Partilhar nas redes sociais
  • 91
  •  
  •  
  •  
    91
    Shares

Será um dos piores furacões a passar por todas as ilhas dos Açores. Tem zonas com ventos que podem chegar aos 250 Km/h e no sábado de manhã ganhou força e chegou à escala 5, a mais elevada. O Governo Regional está em alerta máximo e articulado com o Governo de Lisboa.

O Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, reuniu extraordinariamente o Executivo regional ao final da tarde de domingo, dia 29. Na reunião participam as Secretarias Regionais da Saúde, Obras Públicas e Transportes, Energia, Ambiente e Turismo e Agricultura e Florestas. Os governantes elaboraram as diretrizes preventivas para os efeitos que o Furacão Lorenzo deverá provocar nos próximos dias, em especial durante os dias 1 e 2 de outubro, aqueles em que se prevê que a tempestade afecte praticamente todas as ilhas dos Açores.

Hoje, dia 30 de Setembro, as corporações de bombeiros da ilha de São Miguel vão enviar 25 homens para reforço de efectivos nas ilhas das Flores, do Pico e da Graciosa.

Durante a mesma reunião, Vasco Cordeiro esteve em contacto telefónico com o Primeiro-Ministro, António Costa, e o Chefe de Governo terá garantido disponibilizar à região o apoio da República caso venha a ser necessário.

O furacão deverá afetar todas as ilhas dos Açores até quarta-feira, com rajadas que deverão ultrapassar os 200 Km/hora nos grupos Ocidental e Central e as rajadas na casa dos 100 Km/hora no grupo Oriental.

Segundo o jornal americano 'The Washington Post', e contrariamente à previsão de enfraquecimento, o furacão Lorenzo alcançou ontem de manhã, e durante algumas horas, a categoria 5 e já é o registo de furacão mais forte de sempre a passar pelo Atlântico norte. Segundo os cientistas foi o aumento anormal da temperatura da água do mar permitiu que ao Furacão Lorenzo atingir a força que possui neste momento.

Entretanto o Lorenzo já regrediu para categoria 4 na escala de Saffir-Simpson e deverá ser com essa intensidade que chegará aos Açores nos próximos dias. Com uma extensão que pode alcançar os 130 quilómetros, pode ter rajadas de vento a atingir uma velocidade máxima até 250 km/h.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) estima que o Lorenzo chegue em força à região na quarta-feira, dia 2 e que as ondas atinjam os 12 a 14 metros de altura, sendo o máximo previsto para o grupo central.

 


Partilhar nas redes sociais
  • 91
  •  
  •  
  •  
    91
    Shares