Angola e Cabo Verde levam seis 'startups' à 'Web Summit' de Lisboa

Partilhar nas redes sociais
  • 3
  •  
  •  
  •  
    3
    Shares

A edição da 'Web Summit' deste ano conta com 41 'startups' africanas, das quais cinco de Angola e uma de Cabo Verde. Ao todo serão 2.100 projetos e ideias apresentados a investidores tecnológicos de todo o mundo. São esperados 70.000 visitantes. Um recorde!

A edição de 2019 da 'Web Summit', a cimeira tecnológica que começa hoje em Lisboa, conta este ano conta com 41 'startups' africanas, entre as quais cinco de Angola e uma de Cabo Verde, avançou o co-fundador do evento Paddy Cosgrave, acrescentando que esta edição será a “maior de sempre”, com um total de 'startups' superior a 2.100.

Entre os dias 4 e 7 de novembro estarão no Altice Arena de Lisboa, a ouvir as apresentações nos palcos do recinto a fazer 'pitch' (breve apresentação em três a cinco minutos do projetos), previsionalmente 70 mil pessoas de várias nacionalidades.

De África chegam 41 'startups', entre as quais “cinco de Angola e uma de Cabo Verde”, salientou Paddy Cosgrave.

Recordamos que recentemente se realizou em Cabo Verde a 'Seedstars World competition', iniciativa que procurou descobrir a melhor 'startup' nacional na área tecnológica. No pódio ficou a 'Passa Free', uma 'startup' que desenvolveu uma plataforma de divulgação e venda de bilhetes para eventos através do telemóvel.

Em segundo lugar ficou a 'Bonako Games Arena', uma tecnológica que desenvolve jogos digitais de nova geração que cria comunidades entre jogadores e em terceiro ficou a 'Nhabex', uma 'startup' que gere remotamente as filas sem que o cliente perca a sua vez. Uma destas empresas cabo verdianas deverá apresentar-se na Web Summit' de Lisboa.

Foto: Facebook Web Summit


Partilhar nas redes sociais
  • 3
  •  
  •  
  •  
    3
    Shares